No Dia da Consciência Negra, imagem de orixá é encontrada sem cabeça na FDR


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/11/2014 às 14:37
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada em 21.11.2014 às 8h48 Foto: reprodução/internet Foto: reprodução/internet Nessa quinta-feira (20), comemorou-se o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebração que foi instituída oficialmente em novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do quilombo dos Palmares e representante da luta negra. E, neste dia de celebração, um ato de intolerância religiosa foi registrado na Faculdade de Direito do Recife (FDR), localizada na área central. Uma imagem de Iansã, Orixá dos Ventos, doada por alunos do Movimento Zoada na última segunda-feira (17), foi encontrada com a cabeça decepada. A imagem da orixá sido colocada ao lado de Nossa Senhora do Bom Conselho, que está no local há cerca de sete anos. Revoltados e entristecidos, alunos, membros do Movimento Negro, integrantes da OAB, alunos da FDR e sociedade civil organizam um ato em repúdio à intolerância religiosa e ao racismo na frente da faculdade. Acompanhe na reportagem de Elen Carvalho. NEGROS NO BRASIL De acordo com pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), cresceu a participação de negros no mercado de trabalho, no Grande Recife, mas a falta de qualificação ainda é um problema para essa parte da população. Entre os anos de 2012 e 2013, houve a criação de 15 mil novas ocupações para trabalhadores negros. Também foi notado um crescimento considerável de negros no setor privado, com carteira assinada.Em 2004, a cada 100 vagas, 33 eram ocupadas por afrodescendentes. Já em 2013, o número aumentou para 46. O historiador Lula Couto explica que a mudança representa um avanço, mas ainda é preciso mudar em relação ao tratamento dado ao negro na sociedade. De acordo com um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o número de pessoas que se declararam negras ultrapassou a população branca no Brasil, sendo 97 milhões de negros.

Mais Lidas