Povos de Terreiro pedem punição para responsáveis por vandalismo a imagem de Iansã


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/11/2014 às 9:07
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: reprodução/internet Foto: reprodução/internet A estátua de Iansã, a senhora dos ventos e tempestades para as religiões de matriz africana, teve a cabeça arrancada no Dia da Consciência Negra, comemorado na quinta-feira (20). O episódio trágico ocorreu no campus da Faculdade de Direito do Recife, que fica no bairro da Boa Vista, teve ampla repercussão. Um ato de repúdio que contou com a presença de instituições como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi realizado para demonstrar o desagravo. O ataque característico de intolerância religiosa ocorreu somente à imagem que representava a matriz africana. Na mesma mesa estavam a imagem de Nossa Senhora do Bom Conselho e de um papai noel. Nesta terça-feira (25), representantes dos Povos de Terreiro vão se reunir numa das antigas casas da cidadania, em Olinda. A iniciativa tem como objetivo cobrar dos órgãos que combatem o racismo ações para punir os responsáveis pelo vandalismo na UFPE. A conselheira Estadual de Direitos Humanos, mãe Elza de Yemanjá, rejeita impunidade neste caso específico:

Mais Lidas