Família Paschoal e executivo do "Pernambuco Dá Sorte", presos na Operação Trevo, deixam o Cotel

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/11/2014 às 11:26
Leitura:

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região concedeu habeas corpus aos quatro sócios do grupo “Dá Sorte”, presos durante a operação trevo da polícia federal. A decisão da primeira turma do órgão, tomada por maioria nessa quinta-feira, contemplou os irmãos Júlio, Hermes, Gustavo e Cláudio Paschoal e ainda Zanone Tavares Pedrosa, gerente da empresa.

Os suspeitos estavam no Cotel, em Abreu e Lima, desde o dia 12 deste mês. Eles são acusados pela PF de ilegalidade dos títulos de capitalização, jogo do bicho, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. O advogado da empresa, Ademar Rigueira, fala o que alegou para obter a decisão judicial. Confira na reportagem de Lélila Perlim:

25 instituições filantrópicas estão sem receber verbas, que eram destinadas a partir dos títulos de capitalização. Consumidores também não foram ressarcidos. Já os cerca de 500 funcionários demitidos nessa quarta permanecem sem previsão de pagamento da rescisão contratual, uma vez que todos os bens da empresa estão bloqueados pela justiça.

Mais Lidas