No Dia Mundial de Combate à Aids, dados apontam que doença tem aumentado entre jovens e mulheres

portado por Alana Lima
portado por Alana Lima
Publicado em 01/12/2014 às 17:13
Leitura:


Foto: Reprodução / Agência Brasil

Nesta segunda-feira (1º), é comemorado o Dia Mundial de Combate à Aids. No Brasil, as notícias são controversas. Se, por um lado, os coquetéis têm dado muito mais qualidade de vida aos portadores do vírus HIV, por outro, a incidência da doença tem aumentado em jovens de 15 a 24 anos, e em mulheres.

Em entrevista à Graça Araújo, a enfermeira e sanitarista Roselene Hans,diretora-geral de Controle de Doenças e Agravos da Secretaria de Saúde de Pernambuco, diz que é preciso lembrar que a Aids ainda não tem cura e que a camisinha é a única forma de prevenção da doença.

A testagem rápida da doença é cada vez mais acessível. Qualqer pessoa pode pedir pra realizar o exame em unidades básicas de saúde. Não é preciso apresentar nenhum documento ou solicitação médica. Pessoas que realizaram sexo sem segurança, que compartilharam seringas ou alicates e que estejam com tuberculose devem fazer o exame o mais rápido possível. [Ouça entrevista na íntegra]

Mais Lidas