Países que compõe a ONU estão reunidos para preparar novo acordo climático

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/12/2014 às 14:01
Leitura:

O novo relatório "Diminuir o calor confrontando o padrão climático" publicado pelo Banco Mundial, na última semana, alerta que, se o mundo não agir imediatamente para mitigar o aquecimento global, é provável que até o final deste século o aquecimento suba em relação aos níveis pré-industriais de 1,5º, segundo a previsão atual, para 4ºC.

A publicação mostra como a elevação das temperaturas globais está afetando cada vez mais a saúde e os meios de subsistência das populações mais vulneráveis, ampliando de maneira drástica os problemas que cada região vem enfrentando atualmente.

A zona costeira da América Latina e o Caribe, o Oriente Médio e o Norte da África, e algumas partes da Europa e da Ásia Central são as regiões destacadas no relatório a estarem expostas ao mesmo risco: o calor extremo.

Segundo a publicação, em áreas centrais de produção agrícola à medida que a produtividade diminui, devido à seca, os recursos hídricos se alteram e os meios de subsistência de milhões de pessoas sãos postos em risco. Já em áreas costeiras, o derretimento das geleiras pode subir o nível do mar, desde o período pré-industrial para mais de 30 cm até 2100 e causar fortes inundações em cidades e comunidades. Além disso, se este padrão climático persistir podem surgir alterações irrevercíveis e em grande escala.

Os países que compõe a ONU estão reunidos em Lima, no Peru, para preparar um novo acordo climático que será apresentado no ano que vem em Paris. É uma das últimas oportunidades para se reverter a situação.

Confira a coluna Mundo Possível:

Mais Lidas