PRESÍDIO

Ministério Público de Pernambuco solicita interdição parcial do Complexo do Curado

Vários problemas foram encontrados nas três unidades de presídios, entre elas superlotação, baixo número de agentes e falta de atendimento médico aos reeducandos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/12/2014 às 17:12
Leitura:


Foto: João Carvalho / acervo JC

A primeira Vara de Execuções Penais do Recife instaurou, nesta sexta-feira (5), procedimento para apurar informações do Ministério Público de Pernambuco com relação a irregularidades encontradas no Complexo Prisional do Curado. No documento, há solicitação de interdição parcial do complexo.

Vários problemas foram encontrados nas três unidades de presídios, entre elas superlotação, baixo número de agentes e falta de atendimento médico aos reeducandos. O juiz da Primeira Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha, explica que o governo do estado tem 20 dias para repassar todas as informações relativas à área e que, a partir daí, será definido o que fazer com o Complexo, entre as possibilidade, interdição parcial ou necessidade de ajustes.

Atualmente, 6 mil detentos estão reclusos no Complexo do Curado que só tem capacidade para 1300 pessoas.

Mais Lidas