INTERNACIONAL

Homem armado faz reféns em um café em Sydney, na Austrália. Brasileira estaria entre vítimas

Sequestro pode ter vínculo político. Uma bandeira preta com inscrições em árabe foi exibida da janela pelos supostos reféns

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/12/2014 às 8:58
Leitura:
Foto: Reprodução/Australian Channel Seven/Getty Images



A polícia australiana informou que um homem armado mantém reféns em um café em Sydney, indicando ser cedo para falar em uma operação terrorista. Cinco pessoas já conseguiram sair do café. Imagens transmitidas pelas emissoras de televisão mostraram, quase uma hora depois de três homens terem deixado o café, duas mulheres saírem correndo do local. No entanto, não se sabe se os cinco reféns escaparam ou se foram libertados pelo sequestrador.

Também não existem dados concretos sobre o número de pessoas que permanecem no interior do café, mas a polícia australiana estima que seja inferior a 30. “Eu posso confirmar que temos um criminoso armado nas instalações, que detém um número indeterminado de reféns na cidade, na região de Martin Place”, disse o comissário da polícia de Nova Gales do Sul, Andrew Scipione, em entrevista coletiva. Ele também informou que nenhum contato foi estabelecido com o sequestrador.

Martin Place, no centro do distrito financeiro, foi evacuada, com dezenas de agentes cercando o Lindt Chocolate Cafe, onde uma bandeira preta com inscrições em árabe foi exibida da janela pelos supostos reféns, segundo imagens das televisões. A mensagem diz: “Não existe outro Deus senão Alá, e Maomé é o seu profeta”.

O comissário da polícia afirmou, porém, que as autoridades ainda não confirmaram se o incidente está relacionado ao terrorismo. “Estamos lidando com uma situação de reféns, com um criminoso armado”, disse. “Nós queremos resolver o caso pacificamente e faremos tudo o que for preciso para garantir isso”.

BRASILEIRA ENTRE AS VÍTIMAS

Foto: divulgação/facebook



Márcia Mikhael, nascida em Goiás e naturalizada australiana, publicou, por meio de sua página no Facebook, as demandas do homem que mantém os reféns desde horas às 0h40 sob a mira de uma arma, de acordo com a família da vítima. Ele teria dito que a brasileira enviou uma manesagem de texto ao marido, por volta das 11h40 de hoje no horário local (1h40 em Brasília e 0h40 no Recife) com o seguinte texto: "Socorro. Eu não quero morrer". Marcia tem três filhos e é gerente de projetos em um banco na região.

Mensagens no perfil de Márcia estão sendo atualizada constantemente, mas a família não sabe dizer se a bancária está atualizando ou sendo forçada a fazê-lo. Saiba mais na reportagem de Romoaldo de Souza, direto de Brasília.

De acordo com informações de tvs australianas, cinco reféns já deixaram o café. Por volta das 1h45 da manhã, dois homens passaram pela entrada e outro pela saída de emergência. Já em torno das 3h15, no horário do Recife, duas mulheres deixaram a cafeteria. A polícia identificou o suspeito, mas pediu aos meios de comunicação para não divulgarem seu nome para não atrapalhar as negociações.

Mais Lidas