CASO DO VASO SANITÁRIO

"É absurdo o indiciamento por tentativa de homicídio", diz advogado de defesa

Paulo Ricardo morreu após ser atingido por um vaso sanitário, no estádio do Arruda. São 3 os suspeitos de cometer o crime

postado por Ísis Lima
postado por Ísis Lima
Publicado em 17/12/2014 às 14:38
Leitura:
Paulo Ricardo Gomes da Silva morreu na hora
Foto: Guga Matos/ JC Imagem

Está sendo realizada nesta tarde, no Fórum Rodolfo Aureliano, em Joana Bezerrra, a primeira audiência de instrução e julgamento referente ao caso do torcedor do Sport, Paulo Ricardo Gomes da Silva, 26 anos, que morreu este ano atingido por um vaso sanitário, no estádio do Arruda.

Essa sessão pública é muito importante para o inquérito por que é o momento onde o juiz e as partes envolvidas se pronunciam, analisam todas as questões e produzem as provas orais necessárias para o processo. São três suspeitos de cometer o crime: Everton Filipe Santiago, 23, Luiz Cabral de Araújo Neto, 30, e Waldir Pessoa Firmo, 34, eles estavam todos no Cotel, em Abreu e Lima, e foram prestar os esclarecimentos. Eles foram indiciados por homicídio qualificado e por outras três tentativas, já que três pessoas ficaram feridas no episódio.

Vanessa Falcão acompanha a audiência e traz outros detalhes:

Antes de entrar na sessão, os advogados de defesa conversaram com a imprensa. O advogado de Everton, Adelson José da Silva, comentou que "é absurdo o indiciamento por tentativa de homicídio".

A família de Paulo Ricardo está do lado de fora aguardando o fim da audiência. Todos vestidos com uma camisa com a frase "Luto! Um guerreiro não morre e sim descansa" uma das frases que ele mais gostava, segundo os familiares.

Mais Lidas