INVESTIGAÇÕES

Justiça realiza audiência do caso de torcedor morto com vaso sanitário

Delegada Gleide Ângelo afirma que acusados tiveram intensão de matar. "Eles esperaram ter gente embaixo", diz

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 17/12/2014 às 9:11
Leitura:
Foto: Guga Matos/JC Imagem



O metalúrgico Paulo Ricardo Gomes da Silva, de vinte e seis anos foi atingido no dia 2 de maio. A vítima integrava a Torcida Jovem do Sport, parceira da Fúria Independente, torcida do time do Paraná Futebol Clube.

O vaso sanitário foi lançado por integrantes da Torcida Organizada Inferno Coral, que continuam presos no Cotel, em Abreu e Lima. Everton Felipe Santiago Santana, de 23 anos, Luiz Cabral Araújo Neto, de 30 anos, e Waldir Pessoa Firmino Júnior, de 34 anos, são os acusados.

Além da morte de Paulo Ricardo, outras três pessoas foram atingidas pelos estilhaços, mas todas receberam alta médica horas depois do fato. Os torcedores da Inferno Coral vão responder por homicídio duplamente qualificado e tentativa de homicídio, no caso dos feridos.

A audiência de instrução do processo acontece às 13h30 desta quarta-feira (17), no Fórum Joana Bezerra. Além dos três acusados, serão ouvidos pelo juiz Jore Luiz dos Santos, testemunhas de acusação e defesa.

Durante as investigações, a delegada responsável pelo inquérito, Gleide Angelo, se mostrava convicta da intenção do trio. “Fica claro que eles esperaram ter gente embaixo, não foi algo acidental”, diz.

Mais Lidas