ENTREVISTA

O perigo de se abrigar durante as chuvas embaixo de árvores e guarda-sol

Cinco banhistas foram mortos por uma descarga elétrica em São Paulo ontem. Geógrafo Lucivânio Jatobá explicou como acontecem os raios

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/12/2014 às 9:37
Leitura:
Foto: divulgação/Bombeiros


Um raio matou cinco banhistas que estavam na Praia Grande, litoral de São Paulo, nessa segunda-feira (29). Quatro dessas pessoas eram da mesma família. Elas estavam na praia quando um raio caiu durante uma forte chuva. Os turistas tentaram se resguardar embaixo de um guarda-sol, que teria atraído o raio. No mesmo dia, 24 vacas que estavam debaixo de uma árvore foram mortas em fazenda de Paraguaçu Paulista (SP), causando um prejuízo foi de R$ 50 mil, segundo o proprietário.

De acordo com o geógrafo, Lucivânio Jatobá, embora sejam seres diferentes, os raios foram atraídos pelo guarda-sol e pela árvore, que agem como um pá-raio, causando danos, ao invés de proteger. Até novembro deste ano, 84 pessoas já haviam morrido em decorrência de raios no Brasil, segundo boletim do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacionald de Pesquisas Espaciais (Inpe). De 2000 a 2013, 1.672 pessoas foram vítimas das descargas elétricas.

Para esclarecer as dúvidas sobre a incidência dos raios e os riscos das descargas elétricas, Lucivênio explica nuvens do tipo cúmulos nimbos, que tem formato semelhante a uma bigorna, e as chuvas do tipo convectivas, também chamadas de chuvas de verão, são as maiores responsáveis pelas descargar de raios. Ouça a entrevista completa:

Mais Lidas