INVESTIGAÇÕES

Polícia confirma que pó encontrado com vocalista do Patusco era crack

Dyelson Lima foi encontrado morto em novembro do ano passado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/01/2015 às 10:22
Leitura:
Foto: rerodução/TV Jornal


Peritos do Instituto de Criminalística, responsáveis pela investigação da morte do vocalista da banda Patusco, Dyelson Lima, chegaram à conclusão de que o pó encontrado junto ao corpo de cantor era mesmo crack, um narcótico derivado da cocaína. Dyelson foi encontrado morto com um tiro na cabeça no bairro de Dois Irmãos, Zona Norte do Recife, no dia 18 novembro do ano passado. Ele tinha 25 anos.

De acordo com o perito Severino Arruda, existem evidências da participação de outras pessoas no local onde o corpo do músico foi jogado. Para ele, a forma como foi arremessado e encontrado, demonstra que duas pessoas seguraram o músico, um pelas pernas e outro pelos braços, andaram cinco metros e jogaram o corpo no barranco.

Dyelson Lima participava do grupo Patusco há cerca de dez anos e vivia um grande momento como vocalista. Os familiares negam que o artista era usuário de drogas e cobram da polícia rapidez nas investigações.

O Instituto de Criminalística revela que não há como confirmar que o crack encontrado pertencia mesmo à vítima. O perito criminal Severino Arruda afirma quais as conclusões feitas diante do material encontrado na cena do crime:

Osias Higino Tavares, de 27 anos, permanece preso acusado de participar do assassinato.

Mais Lidas