PRESOS

Agentes penitenciários denunciam omissão do estado como causa da queda do secretário de Ressocialização

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/01/2015 às 14:25
Leitura:
Na vistoria foram encontrados 55 facões e 46 facas
Foto: Isabela Lemos / Rádio Jornal



O secretário-executivo de Ressocialização de Pernambuco, Humberto Inojosa, pediu exoneração do cargo, na manhã desta quarta-feira (7), após denúncia da Rede Globo de Televisão, que flagrou detentos do Complexo Prisional do Curado, antigo Aníbal Bruno, utilizando armas e celulares.

A carta de renúncia foi entregue ao secretário Pedro Eurico, titular da pasta de Direitos Humanos de Pernambuco. Em entrevista à comunicadora Graça Araújo, Pedro Eurico afirma que o Brasil descuidou do sistema presidiário, como um todo, nos últimos 40 anos. Ele também afirma que com as prisões do Pacto Pela Vida, em 2007, a população carcerária no estado era de 11 mil pessoas e saltou para 32 mil em 2015. O secretário afirma que as primeiras medidas a serem tomadas nos presídios é a intensificação de revistas e um trabalho de humanização, como maior estrutura par aos familiares. Em substituição a Humberto Inojosa, assume a pasta de Ressocialização o coronel Éden Vespaziano, que já foi sub-comandante da Polícia Militar e tem formação em Direitos Humanos e Gestão Pública.



Coronel Éden Vepaziano será o novo secretário de Ressocialização
Foto: Reprodução / Internet


O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, João Batista de Carvalho, avalia a saída do secretário com tristeza e denuncia que o problema maior é a omissão do estado. Ele destaca que atualmente, por plantão, seriam necessários 150 agentes penitenciários, mas na prática atuam apenas quatro.

Tesouras, ferramentas e outros materiais pontiagudos também foram encontrados
Foto: Isabela Lemos / Rádio Jornal


No último domingo (4), agentes penitenciários haviam encontraram um túnel no presídio. Segundo a assessoria da Seres, a descoberta evitou uma fuga em massa. Na manhã desta quarta, uma vistoria foi realizada no Complexo Prisional. Participaram da ação o Batalhão de Choque, Companhia Independente de Operações Especiais e a Companhia Independente de Policiamento com Cães. Foram encontrados 55 facões, 46 facas e duas foices industrializados, 10 facas, cinco foices artesanais, 16 chunchos, uma arma de confecção artesanal, sete litros de cola de sapateiro e 400 gramas de maconha.

Mais Lidas