TRANSPORTE

Frente de Luta pelo transporte se reúne com Ministério Público para discutir aumento da passagem de ônibus

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/01/2015 às 15:41
Leitura:
Nos últimos anos, protestos contra aumento de passagem foram marcados por violência
Foto: Reprodução / JC Imagem


Os protestos contra o reajuste das passagens de ônibus que circulam no Grande Recife estão confirmados para esta sexta-feira (9), a partir das 8h, em frente ao Grande Recife Consórcio de Transporte, no Cais de Santa Rita. No local, também está marcada uma reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano, que aprovará ou não o aumento das passagens dos coletivos. O anel A, cobrado em 80% das linhas de ônibus da Região Metropolitana do Recife, poderá subir de R$ 2,15 para R$ 2,50 a partir da próxima semana.



Os empresários de ônibus defendem o valor de R$ 2,29, que representaria o acumulado do Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2014. O governo do estado não quis antecipar o percentual de aumento que irá defender na reunião de sexta, mas técnicos do próprio governo defendem, em reserva, que a reposição correta do IPCA deve ser feita a partir de 2012.

Por meio de nota, a Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco divulgou que se reúne com o promotor de transporte, Humberto Graça, para discutir a convocação da reunião do conselho metropolitano de transporte, vinculado ao Consórcio Grande Recife, pois não houve tempo hábil para discussão com a sociedade, com o legislativo e com o próprio Ministério Público.



Além disso, as empresas do setor não divulgaram as planilhas de custos para operar o sistema e os lucros obtidos, o que torna prejudicada qualquer posição dos conselheiros sobre aumento. Em entrevista ao comunicador Ednaldo Santos, Pedro Josephi, da Frente de Luta pelo Transporte Público explica que o movimento questiona a falta de transparência das empresas ligadas ao transporte, e a nova licitação que determina que o Estado arque com possíveis rombos nos cofres das empresas, impossibilitando, assim, que o aumento seja repassado para os usuários de ônibus.

Mais Lidas