OLINDA

Superlotação e incertezas no atendimento marcam rotina de quem precisa do Expresso Cidadão

Quem precisa tirar ou atualizar documentos alega que precisa chegar de madrugada para tentar atendimento

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 13/01/2015 às 11:53
Foto: Lélia Perlim/Rádio Jornal


Cerca de 200 pessoas compareceram hoje ao prédio do Centro da Moda, onde fica o Expresso Cidadão de Peixinhos, localizado na Avenida Presidente Kennedy, no bairro de Peixinhos, Olinda. A maioria das pessoas chegou ainda de madrugada e o atendimento começou apenas às 7h30 da manhã. Após abrir, 100 fichas são distribuídas para o atendimento pela manhã. Quem não consegue, tem o nome anotado para ser atendido à tarde, quando são distribuídas apenas 50 fichas.

O desconforto de esperar na rua pela abertura do prédio e a incerteza de ser atendido são as principais reclamações de quem tenta ser atendido. A advogada Ana Leão levou os documentos da filha, menor de idade, mas foi impedida de pegar uma ficha. “Os pais respondem pelos menores de idade. Será que eu vou ter que trazer a minha filha menor de idade para a rua de madrugada?", diz.

A Coordenação do Expresso Cidadão de Peixinhos foi localizada, mas afirma que não pode se pronunciar. A Secretaria de Administração informou, por meio de nota, que em janeiro, mês de férias, a demanda nas unidades triplica. No entanto, a Secretaria informou que a maior demanda é por emissão de carteiras de Identidade, e, diante dessa situação, a Secretaria de Defesa Social (SDS) em conjunto com o Instituto de Identificação Tavares Buril (IITB), responsáveis pelo serviço, já estão finalizando uma ferramenta que irá permitir o agendamento via internet, eliminando as filas. A Secretaria reforça ainda que os Expressos Cidadãos funcionam o ano inteiro, inclusive aos sábados, em oito unidades, sendo cinco na Região Metropolitana do Recife.