TUMULTO

Detentos da Penitenciária Barreto Campelo protestam e pedem visita de juiz na unidade de Itamaracá

Principal reivindicação dos detentos é que os processos sejam agilizados e a população penitenciária seja reduzida.

Postado por Clarissa Siqueira atualizado às 16h
Postado por Clarissa Siqueira
atualizado às 16h
Publicado em 20/01/2015 às 12:25
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem


Mais um protesto eclode nesta terça-feira (20) em presídios da Região Metropolitana do Recife. Desta vez o tumulto acontece na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá. Os detentos protestam de forma pacífica, mas carregam facções e porretes. Segundo os presos, o judiciário está demorando demais para realizar os julgamentos, o que deixa o presídio cada vez mais lotado e os detentos, revoltados. O promotor da 2ª Vara de Execuções Penais de Pernambuco, Marcelus Ugiette, esteve no local na tarde desta terça-feira para tentar negociar com os presidiários. Ouça mais detalhes nos flash da repórter Lélia Perlim, abaixo:

Durante a tarde, o clima permanceu tenso no local. Os detentos, revoltados, ameaçaram matar outros presidiários se juiz Cícero Bitencourt não aparecer para negociar a agilidade dos julgamentos. Ouça mais detalhes nos flashs de Alana Lima, da Rádio Jornal:

O Batalhão de Choque foi acionado para o protesto da Barreto Campelo. Os detentos subiram nos telhados e exibem faixas e cartazes pedindo que a justiça seja mais ágil e julgue os processos. Não houve violência e o protesto ocorre de forma pacífica. Atualmente, 1.930 presos vivem na penitenciária, que tem capacidade para 1.140 pessoas.

O protesto acontece após um dia de tensão no Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, Zona Oeste do Recife. Na segunda-feira (19), uma rebelião pedindo rapidez na resolução de medidas judiciais deixou duas pessoas mortas, entre elas um sargento da Polícia Militar, e 29 feridos. Já na manhã desta terça o clima voltou a ficar tenso no Aníbal. Os presos voltaram a subir nos telhados e tiros foram disparados. O Batalhão de Choque voltou a ser acionado para o local.