ENTREVISTA

Promotor diz que é preciso olhar para o futuro para solucionar problemas em presídios

Marcellus Ugiette conversou com Geraldo Freire sobre a superlotação e o uso de armas brancas em unidades prisionais

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/01/2015 às 11:14

Nesta quinta-feira (22), em entrevista ao comunicador Geraldo Freire da Rádio Jornal, o promotor da Vara de Execuções Penais, Marcellus Ugiette, afirmou que a situação está voltando à normalidade, mas não se pode esquecer que o sistema prisional tem muitos problemas para serem resolvidos. "Precisamos ter um pensamento e um olhar para o futuro. Nesse momento, precisamos apoiar o juiz Luiz Rocha, mas precisamos verificar a questão das unidades prisionais como um todo, como causa e efeito", disse.

Sobre a presença de armas brancas, o promotor acredita que a lotação extrema das unidades e a baixa quantidade de agentes penitenciários cria um ambiente facilitar de irregularidades. "Quando o Estado tomar as unidades prisionais para tomar contar realmente, isso acaba. Agora é necessário velocidade, ação, planejamento, políticas perenes e metas a curto, médio e longo prazo" , completa.

Sobre maus profissionais que agem de forma irregular, o promotor afirma que o momento de tensão e a falta de regras pode permitir que existam roubos, extorsões e uso extremo da forma física. "O caos facilita determinadas ações. Quem tem índole ruim é beneficiado pela falta de organização e de agentes penitenciários", afirma. Ouça a entrevista completa: