PASSANDO A LIMPO

Sabatina: Paulo Câmara responde sobre segurança, mobilidade e crise hídrica em Pernambuco

Principal foco do governador do Estado é garantir a estabilidade no sistema prisional

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 23/01/2015 às 9:15


Em entrevista exclusiva à Rádio Jornal, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), falou sobre desperdício de água e crise hídrica em Pernambuco, a crise no sistema penitenciáro, mobilidade urbana e possibilidade de greve da Polícia Militar. Paulo Câmara foi entrevistado pelos comunicadores Geraldo Freire, Graça Araújo, Wagner Gomes e Rafael Souza nesta sexta-feira (23).

O principal assunto em Pernambuco esta semana foi, sem dúvida, a série de rebeliões no sistema prisional. Entre a segunda-feira (19) e a quarta-feira (22), três pessoas foram mortas no Complexo Prisional do Curado, dos quais dois eram detentos e um era sargento da Polícia Militar. De acordo com o governador, uma série de providências foram tomadas para garantir tanto o fim do tumulto quanto a estabilidade do sistema.

Uma dessas medidas é a retomada das obras de construção de novas unidades prisionais. "Falta pouco para concluir a unidade de Tacaimbó, que terá 700 vagas. Vamos retomar o de Araçoiaba, que terá 3 mil vagas", disse. Sobre as obras em Itaquitinga, que estão paradas, Paulo Câmara afirmou que o Governo vai assumir a obra, que tinha gestão privada, para poder finalizá-la. "Falta apenas a questão jurídica", completa. Ouça a entrevista na íntegra abaixo:

Paulo Câmara afirmou ainda que está negociando com a Polícia Militar para evitar uma possível greve, em especial, no carnaval. O governador adiantou que está negociando a contratação de agentes penitenciários para garantir uma maior eficácia no sistema de segurança dos presídios.

O gestor falou ainda sobre o desperdício de água em Pernambuco, que chega a 53,7%, maior que a média nacional que é de 37%, e sobre a crise hídrica que atinge o interior de Estado, uma das mais graves dos últimos anos. "O desperdício nos preocupa. Pernambuco precisa continuar investindo em mecanismos para a prevenção das perdas e em campanhas educativas", disse. "A construção de poços e de minibarragens são algumas das ações que estamo fazendo para tentar reduzir os problemas causados pela seca no Agreste e no Sertão", completa.