CREMEPE

Familiares e vítimas de erro médico protestam por mais agilidade e justiça nas sindicâncias

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/01/2015 às 17:20
Manifestantes entregam cartilha com orientação em casos de erro médico
Foto: Isabela Lemos / Rádio Jornal


Vítimas de erro médico e familiares realizam ato na sede do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), no bairro do Espinheiro, na Zona Norte do Recife, nesta terça-feira (27). Eles reclamam da demora na análise dos processos e da impunidade em muitos casos.

Os manifestantes estão distribuindo cartilhas sobre como proceder em casos de erro médico. Urbânia de Barros Carvalho, 47 anos, morreu em outubro de 2013, depois de ter o intestino perfurado em uma cirurgia para retirar o mioma. Atualmente, a irmã dela, Urbaneide Beltrão, é presidente da Associação das Vítimas de Erro Médico em Pernambuco. Ela fala das dificuldades enfrentadas pela família em ter informações junto ao Cremepe.

Até hoje, o caso de Urbânia não teve sindicância finalizada e não há data para o fim do processo.