OPERAÇÃO PADRÃO

Vistoria apreende drogas e armas no Complexo Prisional do Curado

uma nova sindicância interna foi aberta para apurar a origem do material apreendido

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 03/02/2015 às 9:41
Foto: Reprodução/TV Jornal


Em vistoria realizada, nesta segunda-feira (02) em todos os 13 pavilhões do Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (PJALLB), no Curado, foram recolhidos 340 litros de cachaça artesanal, 44 aparelhos celulares, 10 baterias, 10 chips, 47 carregadores e 30 fones de ouvido. A lista de itens encontrados é formada ainda por 35 facões, 5 foices e 55 facas industrializadas, 22 facões, 28 facas e 17 foices artesanais, além de drogas.

Neste final de semana, dois reeducandos morreram e os três internados no hospital Otávio de Freitas, depois do tumulto registrado no presídio, receberam alta. A mãe de uma das vítimas, Deivid Bezerra dos Santos, a psicopedagoga Joselma Maria dos Santos reclama do sistema prisional:

A secretaria executiva de ressocialização prometeu apurar as circunstâncias da morte de Deivid Bezerra dos Santos, no PJALLB, e uma nova sindicância interna foi aberta para apurar a origem do material apreendido na vistoria desta segunda-feira (02).

Para esta quarta-feira (04), está marcada uma reunião entre os gestores estaduais e os agentes penitenciários. Nivaldo de Oliveira, presidente do sindicato que representa a categoria, afirma que o combate as irregularidades não pode parar: