ABREU E LIMA

Sargento da Polícia Militar vai responder em liberdade por assassinado de agente da Funase

O homicídio está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. A Políca acredita que foi um mal entendido

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/02/2015 às 11:31
Foto: reprodução/TV Jornal


Manoel Santos, um policial militar de 53 anos, estava em uma oficina no bairro de Caetés, em Abreu e Lima, nessa quarta-feira (4), quando foi informado que um assalto estaria acontecendo. Ele atirou e matou o agente da Funase Edmar Gomes Ferreira, de 39 anos, ao pensar que ele seria o suspeito.

Os indícios apurados pela polícia dão conta que foi um mal entendido que vitimou o servidor público. Ele estava e, um carro preto com o também agente socioeducativo da Funase de Abreu e Lima, Edvaldo Severino. O corpo de Edmar está no Instituto de Medicina Legal e será liberado para sepultamento nesta quinta-feira (5)

Outro detalhe informado pela polícia é que o sargento Manoel Santos reside nas proximidades da oficina do bairro. O perito do Instituto de Criminalística, Fernando Benevides, afirma que a cena do crime não foi encontrada intacta:

O colega de trabalho da vítima, o agente Edvaldo Severino dos Santos, passou mal e precisou de atendimento médico. A polícia tem até 30 dias para concluir o inquérito sob responsabilidade do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (dhpp).

O sargento Manoel Santos, que faz parte da radiopatrulha, se apresentou, prestou depoimento e foi liberado ainda nessa quarta-feira. O delegado Paulo Furtado afirma que, por incrível que pareça, se trata de um infeliz mal entendido protagonizado pelo PM: