JUDICIÁRIO

Em regime especial, Vara de Execuções Penais analisou 650 processos de educandos

A agilidade no andamentos das ações, objetivo do regime especial, conta com a participação de seis juízes e de vinte advogados contratados pelo Estado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 09/02/2015 às 14:35
Foto: Marcos Oliveira / Jornal do Commercio


O trabalho do regime especial promovido pela Primeira Vara Regional de Execução Penal foi divulgado, nesta segunda-feira (9), através de balanço quinzenal, no Fórum de Joana Bezerra, na área central do Recife. O regime declarado pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, em meio à crise do sistema prisional no início deste ano, analisou 650 processos de educandos condenados que cumprem penas em unidades no Grande Recife.

Do total visto por magistrados, 202 correspondem a ações de presos do Complexo Prisional do Curado, onde funcionam três unidades. Entre os processos analisados no Complexo do Curado foi concedida a progressão de 126 casos para o semiaberto, três para o aberto, 34 livramentos condicionais e seis remissões de pena.

O juiz titular da Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha, detalha o trabalho.

O magistrado apresentou durante o balanço um revólver 38 e cinco munições, encontrados numa vistoria. O material estava enterrado na área externa do presídio Juiz Lins de Barros. O regime especial vai analisar as 17 mil ações em andamento na Primeira Vara Regional de Execução Penal. A agilidade no andamentos das ações, objetivo do regime especial, conta com a participação de seis juízes e de vinte advogados contratados pelo Estado.