INCÊNDIO

Nova vistoria no Mercado de Afogados deve esclarecer causa do incêndio nesta madrugada

A hipótese mais provável, de acordo com a primeira vistoria no local, é de que o fogo tenha surgido após um curto-circuito, que pode ter sido provocado por um problema no sistema elétrico do mercado ou nos próprios equipamentos da bomboniere

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/02/2015 às 15:58
Foto: Hélia Scheppa / JC Imagem


A Defesa Civil do Recife deve concluir, ainda nesta terça-feira (10), uma inspeção no Mercado de Afogados, na Zona Oeste da cidade, depois que um incêndio que atingiu cerca de 20 boxes. 22 boxes, dos cerca de 500 que existem no mercado, foram interditados, em uma primeira vistoria realizada nesta manhã.

O risco de desabamento do centro comercial foi descartado, mas o local vai permanecer interditado e só deve ter o funcionamento normalizado nesta quarta. O fogo, que começou em uma bomboniere, atingiu também lanchonetes, sapatarias e uma oficina de ventiladores.

Para conter o incêndio, três viaturas do Corpo de Bombeiros foram enviadas ao local ainda durante a madrugada. Até às 9h, 60 mil litros de água haviam sido usados na ocorrência, como detalha o tenente Erivelton Alves.

A hipótese mais provável, de acordo com a primeira vistoria no local, é de que o fogo tenha surgido após um curto-circuito, que pode ter sido provocado por um problema no sistema elétrico do mercado ou nos próprios equipamentos da bomboniere.

Por meio de nota, a Prefeitura do Recife informou que realizou uma reforma do Mercado de Afogados ainda no primeiro semestre de 2013, incluindo a revitalização e individualização da rede elétrica dos boxes, aprovadas pela Celpe. A partir do laudo do Instituto de Criminalística é que a prefeitura vai avaliar quais as medidas serão tomadas com relação aos boxes danificados.