COMPORTAMENTO

Adoção: quando ter um filho não significa ter laços de sangue

Especialistas comemtam os mitos e as verdades dos processos de adoção no Brasil. Saiba o que é indicado pelos psicólogos na hora de contar à criança

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 23/02/2015 às 7:10
Imagem ilustrativa: foto: reprodução/internet


O Programa Comportamento desse domingo (22) trouxa um especial sobre a adoção, discutindo os principais mitos, as verdades e a experiência emocionada de quem vivência a experiência de adotar uma criança. No nosso debete, o juiz da 2ª Vara da Infância e da Adolescência, Élio Braz, a psicóloga e presidente da Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção (Angaad), Suzana Schettini, e a funcionária pública Renata Vitorino, que é mãe de três crianças.

Foto: divulgação


Na entrevista do dia, conversamos com o diretor do filme "A História da Eternidade", Camilo Cavalcante, sobre a estreia do filme pernambucano nos cinemas de todo o País. Conversamos também com o escritor e jornalista, Álvaro Filho, sobre o lançamento do primeiro #SocialNovel do país: O Diário de Viagem do Sr. A., um livro escrito no facebook.

Na coluna "Meus amores da televisão", Rafael Souza faz um apanhado de novelas e séries que aboardaram o tema e da história de Bruno Gissoni, o ator que já interpretou três vezes o papel de filho adotivo. Na coluna "Muito prazer", Silvana Melo explica como fica a vida de um casal com a chegada dos filhos.