SAÚDE

Criança se opera em hospital público depois de ter autorização de cirurgia negada por plano de saúde

A família de uma menina de 3 anos está passando por uma grande dor de cabeça devido à transferência de plano de saúde

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/03/2015 às 15:46
Foto: Reprodução / Internet


A família de uma menina de 3 anos está passando por uma grande dor de cabeça devido à transferência de plano de saúde. A criança era coberta pelo plano Viva e a família mudou o contrato para o Unilife porque este estaria comprando a carência do antigo plano da menina. Neste final de semana, a criança, que era cliente do Viva desde que nasceu, teve uma dor na perna e foi levada para o hospital.

Os exames identificaram água no quadril, que é causada por uma bactéria forte. O médico recomendou um antibiótico e disse que se ela não parasse de chorar ou tivesse febre, era para voltar à unidade de saúde. Nesse domingo (1º), ela já teria amanhecido com febre e as dores persistiam. A criança voltou para o Memorial São José e passou o dia fazendo novos exames.

Às 17h, foi dito que era preciso fazer uma cirurgia para limpar o local infectado, pois a bactéria já estaria causando pus. Depois de fazer exames antecedentes à cirurgia, o hospital marcou o procedimento para às 19h. Quando foi feita a solicitação ao plano para a realização do procedimento cirúrgico, o plano Unilife teria negado, dizendo que a menina não estava na carência. No desespero, a família começou a correr atrás do que fazer e descobriu que a cirurgia custava R$ 20 mil. O avô da criança detalha o que o plano teria feito diante da situação:

A gerente administrativa do Unilife, Lucineide Barbosa, afirma que o plano de saúde não compra carência de ninguém e que a empresa prestou o devido serviço à paciente. Lucineide ainda falou que a criança só tem direito aos demais procedimentos a partir do próximo dia 16 de maio, que é quando completam 120 dias de adesão do plano. A gerente do Unilife ainda confirma que a família assinou contrato e deveria estar ciente da situação. Por fim, o plano de saúde se colocou à disposição da família para qualquer outro esclarecimento.