VIOLÊNCIA

Depois de chacina em Poção, outros três conselheiros tutelares de Pernambuco correm risco de assassinato

Além dos três, outros cinco casos de ameaças estão sendo apurados

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 03/03/2015 às 13:56
Assassinato de conselheiros em Poção chamou atenção para situação dos profissionais
Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem


Depois de um mapeamento da situação de vulnerabilidade enfrentada pelos mais de mil conselheiros tutelares ativos em Pernambuco, foi constatado que três profissionais correm risco de serem assassinados. Diante da situação, a categoria promete pressionar o Governo do Estado por mais segurança. Outros cinco casos de ameaça a conselheiros tutelares estão sendo apurados e devem ser registrados em um relatório final, que vai ser apresentado em uma solenidade na próxima sexta-feira (6), data que marca um mês da chacina em Poção, no Agreste de Pernambuco.

O diretor de Articulação e Comunicação dos Conselhos Tutelares de Pernambuco, Iram Santos, afirma a importância dos profissionais relatarem as ameaças recebidas. O diretor também acredita que pode haver outras pessoas envolvidas no crime em Poção:

Nessa sexta (27), foram presos a avó paterna da criança que estava no carro na hora do crime, Bernadete de Lourdes Brito Siqueira, de 52 anos, e o filho dela e pai da criança, José Cláudio de Brito Siqueira, de 32, ambos suspeitos de serem mandantes da chacina. Além deles, também foi preso Egon Augusto Nunes de Oliveira, de 26 anos. Este foi preso em Abaetetuba, no estado do Pará. Ele é de Serra Talhada, no Sertão Pernambucano, mas teria fugido para a casa de parentes. Com ele, foi apreendida uma arma de fogo que pode ter sido usada para cometer os homicídios. Egon vai ser transferido para o presídio de Arcoverde.

A chacina em Poção aconteceu no dia 6 de fevereiro e vitimou os conselheiros tutelares Daniel Farias, de 32 anos, Carmem Lúcia Silva, de 37, e Lindemberg Nóbrega, de 53. Além deles, a avó materna da criança que estava no carro também foi assassinada – Ana Rita Venâncio, de 62 anos.

LEIA MAIS
Polícia prende três suspeitos de envolvimento na chacina em Poção, no Agreste de Pernambuco