PIADAS EM REDE NACIONAL

Em julgamento de Danilo Gentili, marido de doadora de leite espera que "solidariedade vença estupidez"

O apresentador não compareceu a audiência que está sendo realizada em Olinda. Advogados representam o réu

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/03/2015 às 15:02
Foto: Reprodução / Internet



Apesar das expectativas o apresentador Danilo Gentili não está em Pernambuco, nesta quarta-feira (4), para a primeira audiência judicial movida pela pernambucana Michele Maximino por danos morais. Com uma hora de atraso, o julgamento já começou no Fórum de Olinda e os advogados de defesa representam o apresentador. Danilo Gentili deve ser ouvido em São Paulo, com data ainda a definir. Também são acusados no processo o assistente de palco Marcelo Mansfield e a emissora de televisão Band.

Antes do início da audiência, o marido de Michele, Ederval Trajano, disse que, caso Michele ganhe o caso, ela não terá vitória sozinha: "Quem vai ganhar são as mulheres, o aleitamento materno, a doação de leite materno", justificou. "Será a vitória da solidariedade em detrimento da estupidez", desabafou o professor.


Considerada pelo Rank Brasil como a maior doadora de leite materno do Brasil e já tendo batido o recorde mundial com a doação de 407 litros em 11 meses, em 2013, Michele sofreu com piadas em rede nacional quando o apresentador Danilo Gentili a comparou com o ator pornô “Kid Bengala” por causa do tamanho dos seios dela. Danilo Gentili nunca pediu desculpas e parece não se preocupar com a situação. Em janeiro, o apresentador postou uma foto, em uma rede social, onde aparece em uma praia, com a legenda "esperando os processos".

Em janeiro, apresentador postou foto zombando dos processos movidos contra ele
Foto: Reprodução / Facebook


Michele, que é mãe de dois meninos, o mais velho de 15 anos e o mais novo com cinco anos, e de uma menina com 2 anos, ficou muito abalada com o ocorrido. A família da técnica em enfermagem, que está desempregada, teve que se mudar da cidade de Quipapá, Zona da Mata Sul de Pernambuco, onde morava devido às chacotas da população local. Para ajudar Michele a se recuperar, profissionais de saúde e pais de recém nascidos decidiram enviar mensagens de apoio à doadora.

Michele carrega criança de Quipapá que precisa de leite
Foto: Lélia Perlim / Rádio Jornal


Michele ainda amamenta a filha e armazena um excedente de 300 ml de leite por dia. Por causa das piadas, ela deixou de fazer doações, a última foi feita há seis meses. Agora, ela pretende fazer uma nova doação até esta sexta-feira (6), com até 2 litros para o Hospital Agamenon Magalhães, cujo banco está com estoque em baixa.