AUDIÊNCIA

Vereadores discutem situação de estudante que pode ser presa por não pagar pensão de R$ 630 a promotor

Karinny Oliveira está foragida da justiça e pode ser presa caso não pague a pensão de R$ 630 a promotor que recebe R$ 15 mil.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/03/2015 às 8:21
Leitura:

Os Vereadores do Recife se reúnem nesta terça-feira para analisar um assunto que gerou muita polêmica desde que foi divulgado no final do ano passado. Trata-se do caso da estudante Karinny Oliveira, que pode ser presa a qualquer momento por não pagar pensão alimentícia ao ex-marido.

O problema é que Karinny Oliveira recebe apenas uma bolsa de mestrado, que vale cerca de R$ 1.500, enquanto o ex-companheiro é o promotor de Justiça Fernando Portela e deve recebe um salário de R$ 15 mil mensais. A pensão deveria ser de 80% do salário mínimo, ou seja, R$ 630, que Karinny afirma não ter condições de pagar. Eles têm dois filhos adolescentes de 14 e 17 anos, que moram com o pai.

A intenção da audiência é tentar buscar soluções para o caso através da mediação. Karinny permanece foragida da justiça, já que um mandado de prisão contra ela foi expedido por causa do não pagamento de pensão alimentícia. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

Mais Lidas