INFRAESTRUTURA

Audiência Pública debate projeto do Arco Metropolitano, uma das obras mais importantes do estado

O grande impasse atual dos projetos apresentados é a preservação da área ambiental do bairro de Aldeia, em Camaragibe.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/03/2015 às 9:36
Leitura:

O encontro aconteceu ontem, no auditório da assembleia legislativa de Pernambuco e contou com representantes de diversos órgãos. Entre eles estavam o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), secretarias de Desenvolvimento Econômico, Planejamento e Transportes do Estado, Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH), Ministério Público de Pernambuco, a organização ambientalista Fórum de Aldeia, além dos prefeitos de Igarassu e Araçoiaba.

O tema central do debate girou em torno da preservação ambiental a ser respeitada na obra que terá 98 km de extensão. A rodovia vai ligar o município de Goiana, na Zona da Mata Norte, e o Porto de Suape, na área Sul da Região Metropolitana do Recife, melhorando a logística das indústrias instaladas na região. Cacildo Cavalcanti, representante do DNIT, explica que, na melhor das hipóteses, a obra só começa em 2016.

O grande impasse atual dos projetos apresentados é a preservação da área ambiental do bairro de Aldeia, em Camaragibe. Alguns dos representantes dos municípios querem que a rodovia corte a mata de Aldeia, pois acham que, dessa maneira, a obra vai trazer mais desenvolvimento às cidades.

No entanto, todos os órgãos reguladores do projeto, além de organizações governamentais, são terminantemente contra. Segundo os especialistas, uma intervenção deste porte na área pode destruir os lençóis freáticos, importante fonte de captação de água.

O representante da organização Fórum de Aldeia, Herbet Tejano, explica que quem defendia a destruição da mata não tinha conhecimento de novas opções de trajeto.

Mais Lidas