ACIDENTE

Especialistas discordam se teria sido um ataque de tubarão o responsável pelo acidente com um surfista em Olinda

O acidente aconteceu na praia de Del Chifre, que, apesar de ter a prática do surf proibida, é local costumeiro dos surfistas

Da Rádio Jornal; atualizada às 17h
Da Rádio Jornal; atualizada às 17h
Publicado em 31/03/2015 às 15:21
Leitura:
Com ferimento na perna, surfista foi levado para Hospital Miguel Arraes
Foto: Lélia Perlim / Rádio Jornal


Especialistas ainda não confirmaram se o acidente envolvendo um surfista, que aconteceu nesta terça-feira (31), na praia de Del Chifre, em Olinda, teria sido causado por um tubarão. O surfista Diego Gomes Mota, de 23 anos, foi atacado na praia de Del Chifre, em Olinda. O homem sofreu ferimentos na perna esquerdp e foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento da cidade. Logo após, foi transferido para o Hospital Miguel Arraes, onde foi feita avaliação para garantir que nenhum órgão foi atingido.

De acordo com Tiago Gomes, irmão da vítima que estava no mar na hora do ataque, Diego sentiu alguma coisa que o puxava e quando percebeu que era um tubarão, começou a "brigar". "Ele deu mãozada e chutou para conseguir se soltar", explicou. Quando conseguiu se livrar do animal, foi socorrido pelo irmão e mais dois amigos. Tiago Gomes disse que esta não é a primeira vez que presencia um ataque de tubarão: outros três amigos já foram atacados na mesma área. Apesar dos sustos, surfistas insistem em praticar o esporte que é proibido no local.

Foto: Lélia Perlim / Rádio Jornal


Segundo o Corpo de Bombeiros, só vai ser possível afirmar se foi um tubarão e qual a espécie que atacou Diego Gomes depois da realização de exames. Analisando as marcas na prancha, integrantes do movimento Pró-Pesca dizem que o animal deve ter aproximadamente 1 metro. A área de proibição da prática de surf vai desde o Paiva, em Itapuama, até depois do Fortim do Queijo, em Olinda.


Segundo integrantes do movimento Pró-Pesca que analisaram as imagens do ferimento, o surfista teve sorte porque o animal não era dos maiores e a mordida foi maior na prancha do que na coxa. Eles estavam surfando na área de desembocadura dos rios Capibaribe e Beberibe e o período de muita chuva também aumenta o risco de ataques.

O episódio fez ressurgir críticas ao modelo de monitoramento dos tubarões. Para Bruno Pantoja, as telas de proteção e o projeto de recifes artificiais seriam mais eficazes. No último pronunciamento da Secretaria de Defesa Social, a proposta de instalar uma tela de 400m na orla foi descartada.

O último ataque de tubarão em Pernambuco havia sido o da turista Bruna Gobi, de 18 anos, que morreu após ser atacada por tubarão na praia de Boa Viagem, no Recife, em 2013.

LEIA MAIS
Homem de 23 anos é vítima de ataque de tubarão na praia de Del Chifre, em Olinda

Mais Lidas