DEBATE

Pernambuco já cogita romper contrato da Arena com Odebrecht, diz vice-governador

A possibilidade foi levantada nesta quinta-feira (2), em entrevista ao comunicador Geraldo Freire

Publicado em 02/04/2015 às 16:21
Leitura:
Foto: JC Imagem


O contrato do Governo de Pernambuco com a Odebrecht para gerir a Arena Pernambuco, estádio construído para a Copa do Mundo de 2014, pode ser rompido pelo Estado. A possibilidade foi levantada nesta quinta-feira (2) pelo vice-governador Raul Henry (PMDB), responsável por acompanhar as parcerias público-privadas (PPPs) da gestão estadual.

“É possível desfazer o contrato, indenizando a construtora”, afirmou o peemedebista, em entrevista à Rádio Jornal. A Odebrecht deveria gerir a Arena por 30 anos. “Nós temos uma Arena de primeiro mundo em um país que não tem renda de primeiro mundo. Porque as Arenas da Europa se viabilizam”, se queixou.

Foto: Rafael Souza / Rádio Jornal


O Governo de Pernambuco está preocupado com as despesas que a Arena tem imposto aos cofres públicos. Pelo contrato com a Odebrecht, a Arena Pernambuco precisa dar uma receita operacional anual que pague parte do valor da obra e o retorno do investimento. Para 2015, esse valor gira em torno de R$ 100 milhões.

O Estado assume 70% do risco sobre esse faturamento. O que significa que se o estádio não der receitas, cabe aos cofres públicos custear esse valor. O problema é que a Arena não tem dado lucro. No ano passado, a receita levantada pelo estádio foi de R$ 25 milhões. Leia matéria na íntregra no Blog de Jamildo e entrevista que foi ao ar na Rádio Jornal no player:

Mais Lidas