CRIME

Morte de bailarino em Enseada dos Corais vai ser investigada com as hipóteses de homicídio e latrocínio

O dançarino foi encontrado morto com golpes de faca na manhã do último sábado (4), na casa de veraneio da família

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/04/2015 às 14:42
Leitura:
Foto: André Ney / JC Imagem


As investigações da morte do professor de dança e bailarino Eduardo Freire, mais conhecido como Kuka, começaram nesta segunda-feira (6). O delegado responsável pelo caso, Helder Tavares, recebeu o inquérito e vai iniciar as buscas pelos suspeitos e o esclarecimento do crime.

O dançarino foi encontrado morto com golpes de faca na manhã do último sábado (4), na casa de veraneio da família, em Enseada dos Corais, no Litoral Sul do Estado. O delegado afirma que tem um prazo de 30 dias para apontar autoria e motivação do crime.



Foto: Reprodução / Facebook



Eduardo Freire morava com a mãe, que sofre do mal de Alzheimer, no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife. Pelo menos uma vez por mês, Kuka ia na casa de praia. O corpo do bailarino foi enterrado nesse domingo (5), no cemitério do Parque das Flores, no bairro do Sancho, Zona Oeste da capital pernambucana.

O bailarino se preparava para lançar o seu primeiro espetáculo. O trabalho já tinha nome, iria se chamar “1922”, em homenagem à mãe dele, que nasceu nesse ano.

Mais Lidas