PAULISTA

Polícia adota a estratégia do silêncio em caso da menina vítima de bala perdida em Maranguape II

Tayná Vitória Silva Santos brincava na rua com o irmão em um campinho quando foi atingida

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/04/2015 às 9:58
Leitura:
Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem


Tayná Vitória Silva Santos costumava passar os feriados na casa dos avós paternos e ao lado de familiares. A garota foi atingida por um tiro na cabeça na noite da última sexta-feira (7) no cruzamento da Avenida F com a Rua 79. Ela chegou a ser socorrida na UPA de Jardim Paulista e em seguida transferida para o Hospital da Restauração, mas não resistiu.

O clima na localidade é de tristeza por conta da tragédia e de espanto com a violência possivelmente de grupos rivais. A polícia apura a denúncia de que os envolvidos no crime façam parte de uma quadrilha da comunidade conhecida como cocheira.

O sepultamento do corpo de menina de sete anos, no cemitério de santo amaro neste final de semana foi marcado pela comoção. Emocionada, Luciene Santos, tia de Tayná Vitória Silva Santos diz que a criança não teve como se defender:

Mais Lidas