CRIME

Polícial paga tratamento a adolescente apontado como autor dos furtos à Casa Museu Gilberto Freyre

Nos dias 16 e 27 de março, mais de 100 peças do escritor pernambucano, a exemplo de canetas, relógios, medalhas e condecorações, foram levadas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 09/04/2015 às 14:27
Leitura:
Foto: André Nery / JC Imagem


A Polícia Federal de Pernambuco apreendeu um adolescente de 15 anos, apontado como o responsável pelos dois furtos à Casa Museu Fundação Gilberto Freyre, no bairro de Apipucos, na Zona Norte do Recife. Nos dias 16 e 27 de março, mais de 100 peças do escritor pernambucano, a exemplo de canetas, relógios, medalhas e condecorações, foram levadas.

Em uma das ações, o jovem teria entrado forçando o portão do museu, na última, pelo telhado. A polícia chegou até ele depois que os vizinhos do museu falaram aos agentes sobre as madrugadas dos furtos. Em depoimento, o jovem confessou o crime, disse que vendeu o material para comprar crack e contou detalhes do primeiro roubo.

Sobre o segundo furto, afirmou não lembrar, mas as impressões digitais e marcas de sangue colhidas pela polícia no local provaram o envolvimento. De acordo com Giovani Santoro, assessor de Comunicação da PF, o jovem vendeu quase tudo o que furtou a pessoas que passavam nas ruas. Arrecadou R$ 150, dinheiro que gastou com as drogas. Giovani Santoro ressalta que quem comprou as peças, também está cometendo um crime e deve devolvê-las:



Tudo isso seria mais uma história de um jovem viciado em drogas apreendido por furtos para comprar crack se não fosse a postura de um policial. Depois de conhecer o menor na sede da Polícia Federal, Ricardo Belmont decidiu lhe dar uma segunda oportunidade e ofereceu uma vaga numa clínica de tratamento para dependentes químicos.

O jovem vai responder à Justiça pelo crime de deterioração de bem especialmente protegido. A pena varia de um a três anos de reclusão, mas ainda vai ser definida pela vara da Infância e da Juventude no Recife.

Mais Lidas