SAÚDE

"Vivemos afogados em dívidas. Vamos atender bem até fechar", diz presidente do IMIP

Giliatti Falbo conversou com Geraldo Freire sobre a situação das UPAS geridas pelo órgão.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/04/2015 às 12:57
Leitura:

Após receber denúncias de que algumas Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) não estão pagando os funcionários, o comunicador da Rádio Jornal, Geraldo Freire, conversou com o presidente do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), Giliatti Falbo, para saber qual é a real situação. Segundo ele, o subfinanciamento do SUS é a causa dos problemas financeiros do órgão e que acaba refletindo nas UPAS.

De acordo com o presidente, o hospital vive "afogado em dívidas" há 55 anos. Hoje, o hospital tem contrários deficitários, atrasos nos repasses. Ele diz que a Secretaria de Administração precisa repassar tem R$ 19 milhões em valores vendidos para o hospital, além de R$ 18,749 milhões da folha deste mês. "O IMIP funciona pq os funcionários acreditam que o IMIP e por que os credores acreditam que vamos honrar os compromissos", disse.

Giliatti comparou a situação do IMIP com a de dois hospitais na Bahia, que são geridos por ele. Em Feira de Santana, por exemplo, o hospital pagou a folha de dezembro apenas no dia 13 de abril.

Já os hospitais Don Hélder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho e Miguel Arraes, em Paulista, o problema é a falta de repasses. Em 2014, o Don Hélder foi contratado para fazer 232 cirurgias, mas fez 514 e não teve o valos reposto.

Mais Lidas