EDUCAÇÃO

Alunos vão às ruas do Recife em apoio aos professores para cobrar do governo o fim da greve

Os professores estão revoltados com a lista com educadores que serão transferidos das escolas de referência. A Secretaria de Administração diz que a mudança não significa demissão.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/04/2015 às 9:29
Leitura:
Na última sexta-feira (17), os alunos já haviam preparado um apoio aos professores na assembleia em que a categoria resolveu radicalizar a greve. Foto: reprodução/facebook.


A paralisação da categoria completa uma semana nesta segunda-feira (20) com percentual de adesão polêmico. A Secretaria de Educação diz que menos de 10% das escolas estão com as atividades suspensas. Já o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTEPE) garante que 70% dos docentes estão de braços cruzados.

Para a manhã desta segunda, estudantes articularam, pelas redes sociais, um ato de apoio aos professores. A concentração para o protesto começou às 9h, no Parque 13 de Maio. Saiba mais na reportagem de Clarissa Siqueira:

Os alunos e ex-alunos, inclusive de escolas de referência e que funcionam em tempo integral, reivindicam o pagamento de 13,01% aos educadores. Tanto é que eles vão cobrar respostas do governador Paulo Câmara no Palácio do Campo das Princesas.

A pauta também inclui problemas estruturais nos estabelecimentos de ensino como falta de papel e de lanche. De acordo com os organizadores, os manifestantes vão estar vestidos com as fardas ou camisas brancas customizadas.

Um dos coordenadores do protesto, Magno Rodrigues afirma que a comunidade escolar não pode ficar alheia ao impasse:

Entre os professores o clima é de revolta com o anuncio de uma lista com educadores que serão transferidos das escolas de referência. Os docentes argumentam que estão sendo pressionados pelos diretores a retornar as salas de aula a todo custo.

O sindicato que representa a categoria está disponibilizando assistência jurídica para quem se sentir prejudicado. Fernando Melo, presidente do SINTEPE afirma que o poder público descumpre as leis em vigor sobre o magistério:

O Governo do Estado orienta os pais ou responsáveis a enviar os alunos para as escolas. O Secretário de Administração, Milton Coelho, afirma que o afastamento não quer dizer demissão:

Mais Lidas