ACIDENTE

Instituto de Criminalística confirma presença de cerol na linha que matou motociclista na BR-101

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele estava na pista principal da rodovia quando foi atingido e ainda andou cerca de 30 metros até cair

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/04/2015 às 14:10
Leitura:
Foto: Reprodução / Internet


Após perícia, o Instituto de Criminalística confirmou a presença de cerol, mistura feita com cola e vidro moído, na linha de pipa que matou um motociclista na noite dessa segunda feira (20), na BR 101, no bairro da Guabiraba. O corpo do auxiliar de produção, Thiago da Silva Tiburtino, de 26 anos, foi liberado nesta terça-feira (21).



De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele estava na pista principal da rodovia quando foi atingido e ainda andou cerca de 30 metros até cair. Segundo o IC, Thiago sofreu dois cortes profundos, um na região do pescoço e o outro na mão, provavelmente na tentativa de se defender. De outubro do ano passado até hoje, três motoqueiros morreram da mesma forma.

Segundo os familiares da vítima, a moto não tinha o dispositivo aparador de linha, que é conhecido como antena corta-pipa. Esse equipamento só é obrigatório para motofretistas, o que não era o caso da vítima.

A morte do motoqueiro vai ser investigada pela Delegacia da Macaxeira e se for comprovado que foram crianças que estavam empinando a pipa com cerol, os pais delas vão ser responsabilizados. Em Pernambuco é proibido, há quatro anos, empinar pipa com linhas de cerol.

Mais Lidas