GREVE

Professores da rede estadual de ensino fazem nova assembleia para definir rumos da greve

Políticos como Teresa Leitão e Sílvio Costa Filho também marcam presença na assembleia dos docentes

Da Rádio Jornal; atualizada às 17h20
Da Rádio Jornal; atualizada às 17h20
Publicado em 27/04/2015 às 15:50
Leitura:
Foto: Lélia Perlim / Rádio Jornal


Professores da rede estadual de ensino se reúnem no Clube Português, nas Graças, nesta segunda-feira (27), para mais uma assembleia da categoria. Os professores estão em greve há duas semanas e denunciam que os grevistas foram afastados das escolas de referência.

Quem aderiu à paralisação só vai receber salário no próximo dia 5, e com desconto dos dias parados. Quem continuou trabalhando vai receber o salário na íntegra já na próxima quarta-feira (29). A corte do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) pode julgar o pedido de considerar a greve ilegal nesta segunda. A Justiça determinou a suspensão da paralisação, mas a medida foi descumprida por parte da categoria. A cada dia do descumprimento, o sindicato deve pagar uma multa de R$ 80 mil. O Governo de Pernambuco diz que só volta a negociar quando os professores voltarem ao trabalho.

Os professores pedem um aumento de 13,01% para todos os docentes, não só para os que têm magistério, como determinado por projeto do Executivo Municial aprovado na Alepe. Parlamentares contrários ao aumento restritivo também marcam presença, como a deputada Teresa Leitão, presidente da Comissão de Educação da Casa, e o líder da oposição, Sílvio Costa Filho.



O Sintepe entregou, no fim de março, uma pauta com outros 39 itens, além do reajuste salário. Somados a estes pedidos agora também está a suspensão da multa diária e do corte de ponto dos professores que aderiram à greve.



LEIA MAIS
Professores grevistas da rede estadual só vão receber salário depois do Dia do Trabalhador

Mais Lidas