FAMÍLIA

Pai e filho envenenados por mãe da criança se reencontram depois de cinco meses

A guarda do garoto foi concedida ao subtenente, na última sexta-feira (24), pela juíza Ana Paula Feitosa Oliveira

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/04/2015 às 15:20
Leitura:
Foto: Reprodução / TV Jornal


O subtenente do Exército que teve o filho mais velho morto pela própria mãe e quase morreu envenenado pela companheira, Francilewdo Bezerra Severino, de 45 anos, reencontrou o filho caçula, de 6 anos, nesta terça-feira (28). O encontro, que aconteceu na sala da juíza Luzicleide Vasconcelos, no Fórum Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra, foi marcado por emoção e surpresa.

Francilewdo é natural do Ceará e veio ao Recife para buscar o filho caçula, que estava com a família da mãe. Inicialmente, o subtenente, acompanhado do advogado, iriam procurar a criança com oficiais de justiça. Mas, surpreendendo a todos, a avó materna do garoto o levou ao fórum e o entregou ao pai espontaneamente.

Em entrevista à TV Jornal, Francilewdo Bezerra afirma que não pretende mais sair de perto do garoto.

No momento do encontro, a criança, que é autista, reconheceu o pai que não via há cinco meses e demonstrou estar feliz. Francilewdo ganhou a guarda da criança depois que a ex-mulher, Cristiane Renata Coelho, de 41 anos, passou a ser investigada por matar o filho mais velho e tentar matar o próprio marido. Ela é suspeita de ter colocado chumbinho no sorvete do filho e na bebida do marido e, em seguida, ter usado as redes sociais de Francilewdo para incriminá-lo. O crime aconteceu em novembro do ano passado.

A guarda do garoto foi concedida ao subtenente, na última sexta-feira (24), pela juíza Ana Paula Feitosa Oliveira, da 16ª vara da família. A prisão preventiva de Cristiane ainda não foi concedida. Francilewdo e o filho devem voltar ainda na noite desta terça para o Ceará.

Mais Lidas