COMPORTAMENTO

O amor pela camisa: o sentimento das torcidas é o mesmo quando o time perde e quando ganha?

O que fazer quando a sua torcida pode influenciar no julgamento que os outros têm sobre você ou sobre o seu trabalho

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/05/2015 às 11:01
Leitura:
A apresentadora Clarissa Siqueira e a jornalista Luiza falcão sempre em sintonia com as temáricas do comportamento, dos humanos e dos bichinhos. Foto: Rafael Souza/Rádio Jornal


Em clima de futebol e aproveitando a final do Pernambucano de 2015, o Programa Comportamento? deste domingo (3) debateu o sentimento das torcidas, o amor pelo time e como a relação com o futebol pode influenciar o relacionamento com a família e com os amigos.

No primeiro programa após o Dia do Trabalhador, a apresentadora do Comportamento, Clarissa Siquiera, conversou com o vice presidente do sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho, Carlos Silva. De acordo com ele, não há o que comemorar, em especial, por causa do Projeto de lei 4330, que regulamenta as terceirizações, mas pode abrir espaço para uma terceirização irrestrita.

Na coluna "Muito prazer", a sexóloga Silvana Melo fez um panorama da importância do pompoarismo para a expressão sexual feminina. Já na coluna "Meus amores da televisão", o jornalista Rafael Souza lembrou personagens famosos que não faziam questão de esconder o time.

Foto: Rafael Souza/Rádio Jornal


Para falar sobre o futebol, a jornalistas Luiza Falcão reuniu o comentarista esportivo e narrador da Rádio Jornal, André Luiz Cabral, o cronista esportivo, Walter Spencer, o desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Bartolomeu Bueno, e a jornalista da Rádio jornal, Lélia Perlim. A barcada debateu sobre a influencia das torcidas do desempenho dos clubes e a importância de ações afirmativas do Estado para a segurança dos torcedores. Ouça o debate do programa completo nos players abaixo:

Mais Lidas