INTERNACIONAL

Ex-policial militar é preso nos EUA 25 anos após matar adolescente afogado no Rio Capibaribe

Jorge Amauri Domingos Nascimento, de 53 anos, foi deportação graças a uma parceria entre a Interpol e a Polícia Federal Brasileira

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/05/2015 às 10:37
Leitura:
Foto: Polícia federal/Divulgação


Cerca de 25 anos depois de jogar uma criança da Ponte da imperatriz no Rio Capiparibe, um ex-policial militar e halterofilista foi preso pela Interpol com ajuda da Polícia Federal brasileira no Estado do Texas (EUA). Jorge Amauri Domingos Nascimento, de 53 anos, foi deportação e já está em Pernambuco.

De acordo com a Polícia federal, Jorge Nascimento estava foragido desde 1991, quando teve prisão preventiva decretada por ter matado um menino de 13 anos afogado no Rio Capibaribe. O crime aconteceu em maio de 1990, na Ponte da Imperatriz, na Boa Vista.

Jorge Amauri Domingos Nascimento estava morando no Texas com toda a família há quase 25 anos. O nome dele constaca na difusão vermelha, que é um alerta lançado em sistema de todos os países de pessoas que são procurados pela polícia. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

O chefe de comunicação da Polícia Federal, Giovanni Santoro,lembrou que o crime foi cometido sem nenhum motivo aparente. "Ele viu um garoto de 13 anos cheirando cola, pegou esse garoto e assemessou ele no rio. Como o menino devia estar entorpecido pela cola, ou não sabia nadar, ele veia a falecer por afogamento", disse.

Ainda de acordo com Giovanni Santoro, Jorge Nascimento possui antecedentes criminais por roubo e por formação de quadrilha. Segundo costa no inquérito policial, ele seria uma pessoa violenta.

O acusado se diz inocente e nega que tenha deixado o Brasil por conta do mandado de prisão. De acordo com ele, a viagem para para os Estados Unidos foi feita a passeio e que não tinha conhecimento da prisão.

O ex-policial militar levado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito. Agora, ele está no Centro de Triagem Cotel, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife, onde está à disposição do Tribunal do Júri de Pernambuco.

Mais Lidas