ENTREVISTA

Presidente da Compesa fala sobre a vazão do Rio São Francisco no "Passando a Limpo"

Roberto Tavares classificou a situação da Barragem de Sobradinho como "muito grave"

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 12/05/2015 às 11:50
Leitura:

Em entrevista ao "Passando a Limpo", do programa “Super Manhã” da Rádio Jornal desta terça-feira (12) o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, falou sobre as preocupações acerca da diminuição na vazão do Rio São Francisco. A decisão de diminuir a vazão do rio foi tomada em uma reunião com órgãos como a Agência Mundial das Águas (AMA) e a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF), em Brasília.

Roberto Tavares classificou a situação da Barragem de Sobradinho como "muito grave", e disse que a usina deve baixar a vazão dos afluentes da barragem de 1300 para 900 m³ por segundo. A redução será feita de forma gradual, para que sejam observados os efeitos ocorridos nas cidades que dependem da barragem.

Segundo ele, medida foi tomada para que Sobradinho não ficasse com a sua fluência negativa: "se não fizer isso, a barragem de sobradinho fica com um cáuculo de -2,6%, e com essa medida ela vai chegar ao fim do ano com apenas 5,27% da sua capacidade", afirmou o presidente.
Apesar de demonstrar a necessidade da baixa da vazão, a Compesa se diz preocupada com o abastecimento de 10 cidades ao longo do Rio São Francisco, que dependem da barragem. Tavares informou que Petrolina Cabrobró e Orocó contam com captação de água; as ultimas repassam a captação para outras cidades do sertão do Araripe. A estimativa é de que o Rio São Francisco sofra uma baixa de aproximadamente de 30 centímetros, o que prejudicaria alguns braços de rio que chegam às bombas de captação.

O presidente da Compesa falou também das prioridades dadas pelo governo à geração de energia "Na maioria dos países do mundo o abastecimento humano está em primeiro lugar, é a prioridade máxmima (...) temos que discutir isso, pois estamos penalizando as companhias de abastecimento e a população". Uma audiência com o Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, será realizada na quarta-feira, para que os apoios que o Governo Federal darão sejam explícitos e e uma audiência pública devererá ser realizada na quinta-feira (14) para discutir as priodidades que vêm sido dadas ao setor elétrico, e a necessidade de políticas diferenciadas no setor de saneamento.

Acompanhe a entrevista na íntegra no player abaixo:

Mais Lidas