AUDIÊNCIA MARCADA

Secretário de Planejamento Urbano do Recife comenta polêmica sobre redesenho da Ilha Antônio Vaz

Sanção da Lei 18.138/2015 causou revolta em manifestantes do Ocupe Estelita

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/05/2015 às 18:54
Leitura:
Secretário Antônio Alexandre esteve no estúdio da Rádio Jornal e respondeu a temas polêmicos. Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR

O secretário de Desenvolvimento e Planejamento Urbano da Cidade do Recife, Antônio Alexandre, é o convidado do programa Audiência Marcada desta sexta-feira (15). O comunicador da Rádio Jornal Ednaldo Santos e o editor de Política do Jornal do Commercio, Gilvan Oliveira, entrevistaram o representante da Prefeitura para saber de aspectos importantes da capital pernambucana.

Um deles está ligado ao plano urbanístico da Ilha Antônio Vaz, que compreende o Cais José Estelita, do Cais de Santa Rita e do Cabanga. O assunto tem causado polêmica desde 2012. Com a aprovação na Câmara de Vereadores e a posterior sanção do prefeito Geraldo Julio do projeto de lei que define o redesenho do espaço, a discussão voltou ao foco e o movimento Ocupe Estelita realizou protestos no Recife demonstrando insatisfação com a medida.

Durante a fala, Antônio Alexandre fez a distinção do plano urbanístico e do projeto Novo Recife. Segundo o secretário, o plano é uma iniciativa da Prefeitura e não está relacionado ao Novo Recife, projeto imobiliário que prevê a construção de 13 torres de até 38 andares na área do Estelita. De acordo com Alexandre, o terreno da Rede Ferroviária Federal foi adquirido em 2008, num leilão realizado pela Caixa Econômica Federal, em que algumas construtoras arremataram parte da área.

Ouça o debate na íntegra:

No centro de toda a discussão, a organização da cidade, as intervenções que impactam o espaço urbano e o que fazer para melhorar a qualidade de vida da população recifense.

Mais Lidas