JUSTIÇA

Julgamento de PMs acusados de espancamento e morte de dois adolescentes deve durar mais dois dias

Eles são acusados de participar de operação onde dois adolescentes foram torturados e mortos por afogamento durante o carnaval de 2006

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/05/2015 às 15:38
Leitura:
Foto: Alexandro Auler/ acervo JC Imagem


O julgamento do tenente da Polícia Militar, Sebastião Antônio Félix, acusado de liderar uma operação onde dois adolescentes foram torturados e mortos por afogamento durante o carnaval de 2006, foi adiado. O juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti acatou o pedido do novo advogado do réu, Émerson Leônidas, constituído, nesta quarta-feira (20), que alegou desconhecimento do processo.

Outros quatro policiais, dos oito acusados no total, passam por júri popular no tribunal da Primeira Vara do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra. O julgamento do ex-sargento da PM, Aldenes Carneiro da Silva; e dos soldados José Marcondi Evangelista, Ulisses Francisco da Silva e Irandi Antônio da Silva, iniciado nesta quarta-feira (20) ainda pode durar mais dois dias. O promotor do Ministério Público, André Rabelo, detalha a dinâmica do crime ocorrido há nove anos, onde vários outros adolescentes foram torturados.

Dois dias depois das torturas, os corpos de Zinael José Souza da Silva, de 17 anos, e Diogo Rosendo Ferreira, de 15, foram encontrados boiando no Rio Capibaribe, no bairro da Torre.

O tenente Sebastião Félix vai ser julgado no dia 14 de julho no Primeiro Tribunal do Júri do Fórum Joana Bezerra. Os outros três acusados devem ser julgados também no próximo semestre, em data ainda a ser definida. Além de responderem aos dois homicídios, os PMs são acusados também de onze tentativas de assassinato, os dois crimes triplamente qualificados.

Mais Lidas