JUSTIÇA

Julgamento dos PMs acusados de torturar e matar adolescentes em 2006 chega ao segundo dia

De acordo com o processo, oito policiais torturaram 17 adolescentes e afogar dois deles no Rio Capibaribe. Este é o segundo dia do julgamento

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/05/2015 às 6:50
Leitura:
Foto: Alexandro Auler/ acervo JC Imagem


Um grupo de 17 amigos retornava do Recife Antigo quando foi abordado por policiais militares no carnaval de 2006. Os jovens foram levados em duas viaturas, sendo uma do Batalhão de Radiopatrulha e outra do 16º BPM, até a Ponte Joaquim Cardoso, nos Coelhos, onde foram agredidos e jogados no Rio Cabibaribe. Os jovens Zinael José Souza da Silva, na época com 17 anos, e Diogo Rosendo Ferreira, com 15 anos, não sabiam nadar e morreram afogados.

A seção do segundo dia de julgamento de quatro dos oito policiais acusados de tortura e homicídios pode se estender até às 19h desta quinta-feira (21). A expectativa é que o juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti tome a decisão sobre a sentença ainda hoje. Saiba mais na reportagem de Lélia Perlim:

O julgamento de quatro dos oito policiais acusados de tortura e homicídios pode se estender até às 19h desta quinta-feira (21). Saiba mais na reportagem de Lélia Perlim:

Na época, oito policiais militares foram indiciados pelas duas mortes e pela tortura de onze adolescentes. Nesta quarta-feira (20), quatro deles começaram a ser julgados, enquanto o tenente Sebastião Antônio Félix teve o julgamento adiado por que tem um novo advogado.

O oficial que liderava a operação vai encarar o banco dos réus no dia 14 de julho, também no Fórum Joana Bezerra. Lotado hoje em Ouricuri, no Sertão, graças a uma ação judicial, o tenente Sebastião Félix se defende das acusações:

Os quatro outros réus são o ex-sargento Aldenes Carneiro Silva; e os soldados José Marcondi Evangelista, Ulisses Francisco da Silva e Irandi Antônio da Silva. Eles respondem por duplo homicídio triplamente qualificado e 11 tentativas de homicídios.

A sessão é presidida pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti da 1ª Vara Criminal do Tribunal de Júri. Os outros três acusados devem ser julgados também no próximo semestre, em data ainda a ser definida.

O conselho de sentença do processo foi escolhido por sorteio e é formado por cinco homens e duas mulheres. A mãe de uma das vítimas fatais, Zinael José Souza da Silva, não quer ser identificada mas cobra punição:

Nesta quarta-feira, a sessão foi suspensa às 19h, depois da ouvida das vítimas e dos policiais militares. Um dos sobreviventes foi detido após prestar depoimento, já que tinha mandados de prisão expedidos pela justiça.

Os quatro réus acusaram o tenente como responsável pela tortura e pela ideia de jogar os jovens no rio. De acordo com o promotor do Ministério Público, André Rabelo, o crime foi praticado em dois momentos:

O julgamento será retomado às 9h desta quinta-feira (21), com o debate entre acusação e defesa com direito a réplica e tréplica. Há uma expectativa é de que a sentença de inocência ou culpa dos réus seja conhecida ainda nesta quinta, porém, a maior possibilidade é que se estenda até a sexta-feira.

Mais Lidas