JUSTIÇA

Julgamentos dos PMs acusados de torturar e assassinar jovens em 2006 deve chegar ao fim hoje

O promotor do Ministério Público responsável pelo caso pediu a absolvição de um dos acusados, enquanto a defesa acredita que todos serão liberados

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/05/2015 às 11:14
Leitura:
Foto: Alexandro Auler/ acervo JC Imagem

A decisão do julgamento dos quatro policiais acusados da tortura e morte de dois adolescentes no carnaval de 2006 deve sair ainda nesta sexta-feira (22). A audiência, que acontece na primeira vara criminal do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha de Joana Bezerra, área Central do Recife, começou na última quarta-feira (20).

Na noite dessa quinta-feira (21), o promotor do Ministério Público, André Rabelo, pediu a absolvição do ex-soldado Irandi Antônio da Silva. Durante o crime, o policial teria ficado na viatura e por isso não teria participado de forma efetiva da ação. O promotor André Rabelo diz que não existe verdade pela metade, confia na absolvição, mas critica a postura dos advogados de defesa, que acreditam na absolvição de todos os réus.

Além de Irandi Antônio, três policiais militares respondem ao processo: o ex-sargento Aldenes Carneiro e os soldados Ulisses Francisco da Silva e José Marcondi Evangelista. As acusações são de duplo homicídio, e mais onze tentativas de homicídio triplamente qualificadas, por motivo fútil, cruel e sem chance de defesa para as vítimas.

No crime, ocorrido há nove anos no Recife, 17 jovens foram levados em duas viaturas até a Ponte Joaquim Cardoso, nos Coelhos, onde foram agredidos e obrigados a se jogar no Rio Capibaribe. Dois deles morreram por não saber nadar. Outros quatro policiais também serão julgados no próximo semestre.

Mais Lidas