JULGAMENTO

Três policiais militares são considerados culpados por morte de jovem e são condenados a 96 anos de prisão

Apenas um dos acusados foi absolvido. O julgamento foi pelo homicídio de um jovem e tentativa de homicídio de outros nove

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/05/2015 às 15:37
Leitura:
Foto: Alexandro Auler / acervo JC Imagem


O resultado do júri popular dos quatro policiais militares acusados de torturar e obrigar um grupo de adolescentes a pular no Rio Capibaribe, causando a morte de um deles foi divulgado nesta sexta-feira (22). Aldenes Carneiro da Silva, José Marcondi Evangelista e Ulisses Francisco da Silva foram condenados a 96 anos de reclusão cada um, que devem ser punidos na Penitenciária Barreto Campelo. Irandi Antônio da Silva foi absolvido com a justificativa de que, no momento do crime, ele estava dentro da viatura, estacionada a 300 metros do rio. A defesa deve recorrer da sentença.



O julgamento aconteceu na Primeira Vara do Tribunal do Júri, do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha da Joana Bezerra, na área central do Recife. Os militares foram julgados pela morte de Diogo Rosendo Ferreira, na época com 15 anos, e pela tentativa de assassinato de outros nove garotos. A mãe de Diogo, que não quis se identificar, relata o que diria aos acusados se pudesse falar com eles.

Ao todo, 17 jovens foram levados até a Ponte Joaquim Cardoso, nos Coelhos, onde foram agredidos e obrigados a pular no Rio Capibaribe. Além de Diogo, Zinael de Souza da Silva, com 17 anos na época, também morreu afogado. A morte dele e as outras tentativas de assassinato vão ser julgadas em outra ocasião.

Mais quatro policiais envolvidos nos crimes serão julgados no próximo semestre.

Mais Lidas