MORADIA

Após protesto, Prefeitura de Paulista alega que ordem de despejo foi emitida por fórum no Rio de Janeiro

Na manhã desta quarta (27), dezenas de moradores das comunidades Beira Mar e Chega Mais protestaram depois de receberem uma ata de desapropriação voluntária

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/05/2015 às 14:02
Leitura:
Foto: Ismaela Silva / Rádio Jornal


Depois de protestos que interditaram a Ponte do Janga, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, e a PE-22, por mais de uma hora, a prefeitura da cidade disse que a ordem de desapropriação na comunidade Chega Mais foi emitida pelo Fórum do Rio de Janeiro ao Fórum de Paulista. O motivo seria um leilão realizado como garantia de pagamentos de dívidas da empresa Lundgren Irmãos e Tecidos.

Na nota, a prefeitura ainda esclareceu que não possui envolvimento no processo de ordem de despejo e futura desocupação do terreno que é da Boeckmann Comércio e Serviços Limitada.

Foto: Ismaela Silva / Rádio Jornal


No início da manhã desta quarta-feira (27), dezenas de moradores das comunidades Beira Mar e Chega Mais protestaram depois de receberem uma ata de desapropriação voluntária de casas em sete ruas nas localidades. Segundo o documento, eles devem deixar as casas onde vivem até o dia 22 de junho. Márcio Menezes, um dos organizadores da manifestação, denuncia que as famílias vivem no local há décadas:

Márcio disse ainda que os moradores não iriam receber indenização caso cumpram a ordem de desapropriação voluntária. Mas ele diz que os moradores não querem indenizações. As ruas que seriam desapropriadas são: França, Nitrato, João Pereira, Cairo, Palmeirinha, Saloá e Manaus.

LEIA MAIS
Moradores de comunidades em Paulista bloqueiam Ponte do Janga em protesto contra desapropriações

Mais Lidas