Chefe da máfia italiana preso no Recife já está em Brasília à disposição da Polícia Federal

Pasquale Scotti, de 56 anos,estava foragido desde 1984 e é acusado de 26 assassinatos entre os anos de 1980 e 1983

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/05/2015 às 15:07
Leitura:
Foto: Divulgação/Polícia Federal


No Brasil, Scotti viveu por quase trinta anos com o nome falso de “Francisco de Castro Visconti”. Ele morava no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife, com a mulher e dois filhos. O italiano afirmou ter vagado por vários estados do Brasil, até se tornar empresário.

A Polícia Federal já solicitou ao Supremo Tribunal Federal a transferência para um presídio de segurança máxima. O governo italiano tem o prazo de 90 dias para pedir ao supremo a extradição de Scotti, como explica o chefe de comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro.

A prisão do italiano aconteceu na última terça-feira (26), em uma ação conjunta da Interpol e da Polícia Federal. De acordo com autoridades italianas, o foragido foi condenado em 2005, à prisão perpétua.

Ele chegou a ser preso em 1984, mas fugiu. De acordo com a PF, Scotti era o homem mais procurado da Itália. Ele foi chefe do Braço Militar, um grupo mafioso denominado “Nova Camorra Organizada”, de Nápoles.

Mais Lidas