BRASÍLIA

Medidas que restringem direitos trabalhistas são aprovadas no Senado

As medidas provisórias do ajuste fiscal restringem acesso ao seguro desemprego, abono salarial e seguro defeso

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/05/2015 às 8:39
Leitura:

Medidas provisórias do ajuste fiscal que restringem acesso ao seguro desemprego, abono salarial e seguro defeso foram aprovadas na terça-feira (27). A votação foi apertada (39 x 30 votos) e houve tumulto nas galerias, a sessão chegou a ser suspensa até que os trabalhadores que protestavam nas galerias fossem retirados.

O senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, foi um dos três petistas que votou contra as medidas provisórias, ele se disse decepcionado e não descartou a ideia de sair do partido: "não está descartada a ideia de pedir uma licença e procurar outros caminhos", falou.

O trabalhador que recebe até dois salários mínimos só tem direito ao abono salarial se estiver com a carteira assinada há noventa dias, o seguro defeso, que é pago aos pescadores cadastrados em período de proibição de pesca, só será dado a pescadores com cadastro de no mínimo um ano e a nova regra do seguro-desemprego determina que o trabalhador tem direito ao benefício apenas após um ano .

Fernando Bezerra Coelho (PSB), Humberto Costa (PT) e Douglas Cintra (PTB) ajudaram na aprovação da medida do ajuste fiscal. Confira o comentário diário de Romoaldo de Souza, repórter da Rádio Jornal em Brasília, publicado no Redator de Plantão desta segunda-feira (25). O programa é transmitido da segunda ao sábado, das 6h às 6h45:

Mais Lidas