PATRIMÔNIO

Defesa Civil interdita prédio histórico do Seminário de Olinda por risco de desabamento

Padres e estudantes têm duas semanas para deixar o local. O prédio funciona desde 11 de fevereiro de 1800

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/05/2015 às 10:55
Leitura:
Foto: Lélia Perlim/Rádio Jornal


O Seminário de Olinda, uma das principais instituições da Igreja Católica em Pernambuco, foi interditado na manhã desta quinta-feira (28). A Operação foi realizada pela Defesa Civil de Olinda, pelo Iphan e pela Secretaria de Patrimônio da Prefeitura. O prédio corre o risco de desabar e os 55 seminaristas e quatro padres que moram no seminário tem duas semanas para desocupar o local.

O reitor do Seminário, Padre João Bosco, diz que já esperava que o local fosse interditado e que o pedido de visita à Defesa Civil foi feito pela Arquidiocese de Olinda e Recife. Segundo ele, o sentimento é de tristeza, saudade e esperança. "Estamos no ponto mais alto de Olinda e há uma falta de cuidado maior com o nosso patriômio. Desde 2012 que se discute uma reforma, mas esse prédio tem pressa", diz. De acordo com o religioso, a espeança dos padres é que finalmente sejam tomadas ações para reforma da estrutura.

O Seminário de Olinda funciona desde 11 de fevereiro 1800 e passou pela última reforma nos anos 1970. O prédio é tombado pelo patrimônio histórico e artístico da Unesco.

Mais Lidas